Posts Tagged ‘intensidade’

Aparelho criado na UBI regista intensidade da dor

26 de Dezembro de 2008

“O equipamento chama-se Algígrafo e permite ao doente transmitir a quem o está a tratar, no momento, a intensidade da dor ou desconforto que está a sentir, para que o clínico possa corrigir o procedimento. Numa segunda fase pretende-se fazer essa medição apenas com base em sinais fisiológicos.
Permite registar e traduzir a intensidade da dor no momento em que um utente está a ser alvo de tratamento médico. O nome do aparelho é Algígrafo e foi desenvolvido na Universidade da Beira Interior (UBI) por três investigadores. Neste momento ainda se encontra na fase de protótipo, mas já há interessados em comercializar o equipamento. Um processo que só poderá ter início depois de a patente ter sido registada.>Composto por um sensor que o doente segura na mão e por um programa informático, o Algígrafo dá a possibilidade a quem está a ser intervencionado de transmitir ao profissional de saúde o grau de desconforto ou dor que sente no momento, premindo o manípulo que tem na mão. “O que se pretende é dar controlo ao doente para que, comunicando com o médico, este mude o procedimento utilizado, de modo a não ser tão desconfortável”, explica Vasco Rolo, estomatologista e mestrando na UBI.
O que existia até agora eram apenas escalas visuais analógicas que as pessoas apontavam para atribuírem um posicionamento à dor que sentiram. Com o inconveniente de ser feito posteriormente ao tratamento e através de questionários. O que obriga à participação de um terceiro elemento e tem a desvantagem de a pessoa já não se lembrar exactamente da dor sentida em cada altura. “Este aparelho permite a indicação no momento, é mais real, possibilita a intervenção imediata de quem está a tratar, pode-se corrigir logo o procedimento”, sublinha Pedro Araújo, docente do Departamento de Informática.
Questionado sobre a subjectividade da medição, Pedro Araújo realça a maior exactidão em relação aos métodos existentes, de mera observação. Por o doente, com o manípulo na mão, ter tendência a apertar automaticamente quando sente dor, com maior ou menor intensidade, e por tudo ser registado de forma electrónica.”

URBI et ORBI


%d bloggers like this: